• Homeopatia • Acima • Pesquisa em Homeopatia • Veterinários • Sonhos • Eventos gerais • Contatos e informações • 

Portal de Homeopatia

 

Homeopatia • Matérias Médicas - O Medicamento • Matérias Médicas - Dr. Carlos Mello

 

 

Helleborus

pelo Dr. Carlos Melo.

 

ESTUDO PSICODINAMICO DE HELLEBORUS

 

 

A temática de Helleborus, segundo uma dinâmica montada pelo Dr. Gilberto de B. H. seria: Num polo a ROTINA e no outro polo a NOVIDADE. Na clínica apareceu alguma coisa como CONECTADO e DESCONECTADO.

Conectado com o que ? - Conectado com o mundo. Então o indivíduo Hell quando está no polo negativo se parece mais com um vegetal do que com uma pessoa. Ele está vegetando porque não participa da vida, está desconectado, totalmente desligado do meio. O indivíduo, no outro polo, poderia estar totalmente conectado ao meio, vendo detalhes que os outros não vêem.. Nessa história clínica aparece uma pessoa que era totalmente desligada, mas que tendo ido uma pessoa à sua casa, ao voltar três meses depois, ela perguntava assim: cadê as outras chaves do chaveiro, sabendo que haviam outras chaves na vez anterior. Uma pessoa passava com um bilhete na rua e ela perguntava: para quem é? Oscila entre conecção e desconecção. Opium tem algo assim, se desliga do ambiente para se ligar à fantasia. O indivíduo Helleborus se desliga do ambiente e entra num estado vegetativo, como se funcionasse só o lado instintivo. É como se fosse um indivíduo que precisasse de um empurrão para começar a andar e que depois não conseguisse parar por sua própria vontade. Stann é muito parecido neste aspecto.

TUDO PARECE MONÓTONO

OBJETOS ALTERADOS, NOVOS

TRISTEZA, NADA INTERESSA

SEMPRE ALEGRE E ATIVO

NÃO QUER SER PERTURBADO

 

PERCEPÇÃO LENTA

 

INDIFERENTE A ALEGRIA E TRISTEZA

 

MENTE NÃO COMANDA O CORPO

 

INCAPACIDADE PARA PENSAR

 

SILÊNCIO INFLEXÍVEL

 

INCAPAZ DE SEGURAR

 

LENTIDÃO DOS MOVIMENTOS

 

MEDO DE VIRAR O CALCANHAR

 

INSTABILIDADE DOS MEMBROS

 

INCAPAZ DE SE MOVIMENTAR

 

NEGLIGENTE AO SE VESTIR

 

OLHAR INVOLUNTÁRIO

 

 

 

MATÉRIA MÉDICA PURA:

10 - INCAPACIDADE PARA PENSAR E RETER QUALQUER COISA NA MEMÓRIA

Pensar é uma qualidade inerente ao ser humano, sendo assim, estaria quase num estado irracional.

11 - SOMENTE DEPOIS DE UM GRANDE ESFORÇO É QUE CONSEGUE EPOIS DE ALGUM TEMPO RELEMBRAR O QUE QUERIA DIZER OU O QUE LHE FOI PERGUNTADO

Não processa bem não somente a resposta como a própria pergunta.

12 - NÃO CONSEGUE RETER O QUE ACABOU DE LER

Hahnemann conclui que há um estado de estupor, de obtusão dos sentidos internos em hell. É a condição na qual o indivíduo que tem uma visão perfeita mesmo assim é incapaz de entender o que vê; que tem um aparelho auditivo perfeito mas não é capaz de distinguir o que ouve; um indivíduo com os órgãos gustativos perfeitos mas que não sente o gosto de nada; ele está freqüentemente sem pensamentos. Ele relembra pouco ou nada do que lhe aconteceu há pouco, não tem qualquer prazer em nada. Deseja trabalhar, mas não consegue por atenção naquilo, ou não tem força para realizar aquilo. (Segundo Hahnemann isto é devido a ação primária de Hell ). Concluindo de tudo isso, vimos que esse indivíduo tem dificuldade para prestar atenção, e conseqüentemente para captar, para se conectar, para se ligar às coisas que estão acontecendo à sua volta.

24 - DOR DE CABEÇA, SE TORNA MAIS INTOLERÁVEL QUANDO SE ESFORÇA PARA SE DEITAR ESTIRADO, QUANDO FECHA OS OLHOS NUM ESTADO DE SEMI SONOLÊNCIA ESQUECE DE SUA DOR

194 - FALTA DE FORÇAS EM AMBAS AS MÃOS, DE TAL FORMA QUE NÃO CONSEGUE SEGURAR NADA, NEM DOBRAR OS DEDOS QUANDO FAZ FORÇA

210 - INSTABILIDADE DOS MEMBROS, FRAQUEZA DOS PÉS, VACILAÇÃO DOS JOELHOS, SÓ CONSEGUE ANDAR DEVAGAR

216 - UMA DOR NO CALCANHAR ESQUERDO E TEM MEDO QUE O SEU PÉ VENHA A VIRAR

Não está no Repertório como um medo. Já tive um caso curado em que a paciente vivia com o calcanhar inchado de tanto virar e não era briguenta como BOV e ia se submeter a uma cirurgia para inversão do implante dos tendões.

226 - TODOS OS MÚSCULOS DOS SEUS MEMBROS ESTÃO MUITO PESADOS E DOLOROSOS, DE TAL FORMA QUE ELE ESTÁ IMPOSSIBILITADO DE MOVIMENTA-LOS

Lembra Bryonia.

228 - UM SÚBITO RELAXAMENTO DE TODOS OS MEMBROS, CAI SUBITAMENTE NO CHÃO MAS RETÉM SUA CONSCIÊNCIA

231 - AO AR LIVRE SE SENTE COMO SE ESTIVESSE DOENTE HÁ MUITO TEMPO, OS OBJETOS LHE PARECEM ALTERADOS E NOVOS

Foi através deste sintoma e do 286,que o Dr. Gilberto fez a proposta que os polos deste medicamento fossem o novo e a rotina

232 - EDEMA SÚBITO DA PELE

Também das meninges, por isto Hell. deve ser pensado nos casos de meningite e sobretudo nas seqüelas. Uma possível explicação para tantos estados de obnubilação seja exatamente por esse edema que comprime o sistema nervoso.

264 - REPUGNÂNCIA AO BEBER

276 - UMA GRANDE ANSIEDADE COM NAUSEAS E SOFRIMENTO, PENSA QUE ESTÁ PARA MORRER

No mito de Sisifu esse detalhe da morte é muito importante. A morte lembra a rotina, a vida lembra o movimento, as mudanças constantes, neste aspecto Hell. se parece muito com Mez.

277 - NAO CONSEGUE SENTAR, NEM FICAR DE PÉ NEM DEITAR. SEMPRE APONTA PARA O SEU CORAÇÃO

Apontar para o coração tem a ver com a incapacidade de se expressar com palavras, apenas aponta sua dor. Em Curare observamos pela clínica que nem isto ele faz, a mãe tem que apontar vários lugares no corpo para que ele confirme sua dor.

278 - INQUIETAÇÃO E ANSIEDADE COMO SE ESTIVESSE ANTECIPANDO UM INFORTÚNIO

279 - DISTRAÇÃO DA MENTE QUANDO ESTÁ ESTUDANDO, NÃO CONSEGUE FIXAR SEUS PENSAMENTOS

Hell é um daqueles remédios que se deve pensar para crianças que têm muito dificuldade para acompanhar as aulas.

SINTOMA 281 - SE DESESPERA COM SUA VIDA

Sisifu se desespera com a sua morte que não aceita.

283 - NOSTALGIA

Sisifu quer a qualquer custo voltar para a vida. É como se o Tártaro fosse um lugar muito monótono.

284 - AO VER UMA PESSOA FELIZ SE TORNA MELANCÓLICO E SE SENTE MUITO INFELIZ

Vê os outros felizes e fica infeliz. É um sintoma raro, normalmente a felicidade dos outros nos contagia, mas nele faz um efeito contrário. Isto talvez venha a explicar na história clínica, porque a paciente insistia em dizer que via tudo ao contrário. A felicidade dos outros traz infelicidade para ele. A vida sem um contato perfeito com o mundo deve ser muito monótona.

285 - VESTE SUAS ROUPAS COM NEGLIGÊNCIA

Na clínica temos encontrado casos em que a mãe diz : ele não abotoa os botões direito, veste a camisa pelo avesso e coisas assim, não é como Plb que poderia calçar os sapatos trocados só para fazer diferente.

286 - INDISPOSIÇÃO E TRISTEZA COM RESPEITO AO SEU ESTADO PRESENTE. TUDO LHE PARECE MONÓTONO E NADA LHE INTERESSA

Neste aspecto se confunde com China quando aquilo que lhe parecia brilhante e atraente agora parece sem graça e sem valor.

287 - ENVOLVIDO EM SEUS PENSAMENTOS, HUMOR SILENCIOSO

288 - TENDÊNCIA A ESTAR SEMPRE ALEGRE E ATIVO

Na clínica, um indivíduo muito alegre, ativo, experto, ligado as coisas pode ser Helleborus.. No outro polo, ele não tem atividade , alegria e passa a imagem de um indivíduo triste, desligado.

M A T É R I A M É D I C A D O A L L E M:

9 - DESESPERADO, ACREDITA QUE DEVE MORRER

É exatamente o que acontece com Sísifu. Ele ficou desesperado quando lhe comunicaram que tinha de ir para o mundo dos mortos. Ele engana sua mulher dizendo que não enterre o seu corpo.

13 - HUMOR ANSIOSO , INDIFERENTE À ALEGRIA E A TRISTEZA

Nesse polo ele está absolutamente desligado, ele não se cconecta com nada.

14 - MEDO DA MORTE

17 - EXTREMA TENDÊNCIA A FICAR IRRITADO, A MENOR BOBAGEM QUE CONTRARIE OS SEUS DESEJOS EXCITA-LHE A RAIVA

Em "Cólera pela contradição", Hell. ainda não foi agregado.

20 - SEM PODER REFLETIR

Não pode pensar nem refletir, é como se estivesse descorticado.

27 - MAIS VAGAROSO DO QUE DE COSTUME, QUANDO É PERGUNTADO

Se aproxima da insensibilidade; me parece ser o mais lento.

126 - SENSTE UM PREGO NO TOPO DA CABEÇA

Não temos tantos remédios com essa sensação.

SINTOMA 141 - TENDÊNCIA A TER UM OLHAR FIXO E INVOLUNTÁRIO DIRIGIDO AOS OBJETOS

160 - ESPASMO DAS PÁLPEBRAS SUPERIORES

180 - SENTE COMO SE TUDO FOSSE CLARO E ESCURO

Como se o mundo fosse uma foto em preto e branco, assim o mundo não tem atrativo, se torna monótono. Fica indiferente a alegria e a tristeza.

238 - AUMENTO DA SALIVA

279 - GRANDE TENDÊNCIA AO VÔMITO QUE PERTURBA O SEU SONO

Agregar em "Sono - insônia provocada por vômito".

509 - SOBRESSALTOS VISÍVEIS NO DEDO INDICADOR ESQUERDO EM DIREÇÃO AO POLEGAR E ALGUMAS VEZES DO POLEGAR EM DIREÇÃO AOS OUTROS DEDOS

Já vi uma criança com isto quando ainda não era homeopata.

580 - UMA NOTÁVEL INSTABILIDADE EM SUAS AÇÕES

É como se não pudesse comandar os músculos, nisto lembra Gelsemium.

593 - UM DESCONFORTO GERAL

M A T E R I A M É D I C A D O H E R I N G.

1-4 - DIMINUIÇÃO DO PODER DA MENTE SOBRE O CORPO, NÃO PODE FIXAR AS IDÉIAS. LENTO PARA RESPONDER. OS MÚSCULOS NÃO AGEM APROPRIADAMENTE SE A SUA VONTADE NÃO FOR DIRIGIDA FIRMEMENTE PARA A AÇÃO

Aqui há uma desconexão entre mente e corpo; a mente não comanda o corpo. A resposta muscular ocorre automaticamente. Num polo precisa pensar até para comandar os músculos.

1-5 - SUA ATENÇÃO É DESVIADA QUANDO ALGUÉM LHE FALA E DEIXA CAIR ALGUMA COISA QUE ESTÁ SEGURANDO

1-6 - IDIOTIA E CRETINISMO

1-7 - EMBOTAMENTO, NÃO DIZ NADA

1-9 - MANIA DEMONÍACA, VÊ ESPIRITOS DO MAL À NOITE

Lembra o momento em que Tânatus, a morte, um espírito do mal vem para levar Sisivu para o Tártaro.

1-11 - É GOVERNADO POR UMA IDÉIA FIXA

Uma coisa monótona

1-12 - UMA MULHER JÁ VELHA FOI ACUSADA POR OUTRAS MULHERES. ELA SE RESSENTIU TANTO QUE SE ENFORCOU. ESTE SUICÍDIO PROVOCOU UM EFEITO MUITO PROFUNDO NAS MULHERES DA VILA E UMA APÓS OUTRA COMEÇARAM A SE ACUSAR DE HAVEREM PROVOCADO A MORTE DELA ATRAVÉS DE SUAS INSINUAÇÕES. ELAS CHORAVAM E UIVAVAM, CORRIAM DIA E NOITE, FAZENDO MOVIMENTOS GIRATÓRIOS DAS MAOS E FICAVAM DESESPERADAS A RESPEITO DA SALVAÇÃO DEVIDO AO SEU PECADO. SE TORNARAM COMPLEMENTE PERTURBADAS.

O entendimento que podemos ter é que vira um processo automático, uma segue à outra. Hahnemann cita o gênio epidémico no caso das doenças infecciosas. Neste caso nos parece lógico que uma determinada virose tenda a atacar um grupo de pessoas que apresentam um modo muito parecido de adoecer e por isto responde ao mesmo medicamento. Não acredito que toda a população doente realmente venha a responder com o mesmo remédio, pois assim cairia por terra uma das pilastras do unicismo, a individualidade.

1-14 - OLHA AO SEU REDOR COM OS OLHOS ARREGALADOS, DE UMA FORMA MUITO ESTRANHA, QUANDO QUESTIONADO ARREGALA OS OLHOS DA MESMA MANEIRA, DÁ UMA OLHADA AO SEU REDOR E AGARRA SUA CABEÇA

1-20 - TENTA ESCAPAR CONSTANTEMENTE

No mito Sísifu quer escapar da morte.

1-21 - SILÊNCIO INFLEXÍVEL

Uma ausência total de contato com o meio, lembra Thuja que apresenta uma dificuldade na comunicação e Curare que se fecha em si mesmo evitando o olhar das pessoas. Em texto recente Scholten propõe Helium como um remédio para autismo. Camph. se parece na sua tendência a refletir sobre si.

1-30 - FACILMENTE FICA RAIVOSO, PIORA POR SER CONSOLADO, NÃO QUER SER PERTURBADO

Nega-se a ter contato com o meio.

2-4 - QUER DEITAR E ROLAR A CABEÇA DE UM LADO PARA OUTRO; SENTE-SE DESAMPARADO COMO UMA CRIANÇA

Este sintoma nos ajudou a resolver com Hell. um quadro diagnosticado pelo psiquiatra como "Catatonia letal". Segundo ele, sem eletrochoque a paciente morreria.

2 -10 - FALTAM TODAS AS IMPRESSÕES DOS SENTIDOS E TODAS AS EXPRESSÕES DA VONTADE ; DIFICULDADE PARA ENGOLIR

A paciente acima não engolia nada há dias, por isto o colega classificou de catatonia letal.

3-20 - FALTA DE SENSAÇÃO. TREMORES E MOVIMENTOS DAS MÃOS EM DIREÇÃO À CABEÇA, FICA PISCANDO OS OLHOS, COM INSENSIBILIDADE À LUZ, MOVIMENTOS MASTIGATÓRIOS DA BOCA E UM TORPOR. DEITA COM OS MEMBROS BEM SEPARADOS, PERNAS FLEXIONADAS. MORDE A COLHER SEM SER ACORDADO DEVIDO À UMA CONSTRIÇÃO APÁTICA, RETORCE O ROSTO ... URINA INVOLUNTÁRIA

3-21 - FACILMENTE FICA COM RAIVA, ESPECIALMENTE DEPOIS QUE LHE FALAM DOCILMENTE, BATE A SUA VOLTA

3-24 - INCHAÇO DO CÉREBRO APÓS ESCARLATINA

4-3 - JOGA A CABEÇA PARA TRÁS, PARA UM LADO E PARA O OUTRO

5-1 - UM OLHAR VAGO, PUPILAS DILATADAS, OS OLHOS BEM ABERTOS OU SEMIFECHADOS

Fica com aquela cara de bobo, as vezes babando, olhar arregalado, lembra um cretinismo.

3-23 - CONCUSSÃO DO CÉREBRO POR PANCADA NA CABEÇA. PIORA DE 3 ÀS 6 DA TARDE, DEPOIS QUE ARNICA HAVIA FRACASSADO

5-2 - GLOBO OCULAR VIRADO PARA CIMA

14-2 - ÀS VEZES QUER COMIDA, MAS REJEITA QUANDO LHE É OFERECIDA

14-6 - AUSÊNCIA DE SEDE EM TODAS AS SUAS QUEIXAS

19-9 - ASCITE, ESPECIALMENTE DEPOIS DE ESCARLATINA.

20-8 - DIARRÉIA E VÔMITOS COM CAIMBRAS NAS EXTREMIDADES, FRIO POR TODO O CORPO, GRANDE SEDE, VOZ FRACA E ROUCA NUM PACIENTE COM CÓLERA

Cuprum também tem caimbras na cólera.

20-15 - CORRIMENTO RETAL COM ESPASMO DA BEXIGA

26-1 - CONGESTÃO DOS RINS COM EXTENSA EFUSÃO SEROSA NA CAVIDADE ABDOMINAL E NOS TECIDOS DOS MEMBROS INFERIORES

Os clássicos dizem que Hell é um dos principais medicamentos dos rins.

21-4 - NEFRITE COM HIDROPSIA CAUSADA POR SÍFILIS INFANTIL

21-5 - BEXIGA HIPERDISTENDIDA, RETENÇÃO DE URINA POR ATONIA DA MUSCULATURA

23-4 - AMENORRÉIA POR DECEPÇÃO AMOROSA

32-1 - OS BRAÇOS SE MOVEM AUTOMATICAMENTE O TEMPO TODO, EXCETO QUANDO ESTÁ DORMINDO

Trata-se de um quadro de automatismo como se houvesse uma espécie decorticação. A paciente de catatonia citada também apresentava este sintoma. O indivíduo Hell. parece que está no limite entre a escala animal e a hominal. Na história clínica aqui apresentada a paciente disse: " Eu fiquei muitos meses vegetando".

32-3 - COMPLETA PERDA DO PODER DOS MUSCULOS DE AMBAS AS MÃOS, COM ADORMECIMENTO DOS BRAÇOS

32-8 - ULCERAÇÃO EM VOLTA DAS UNHAS

35-3 - PIORA POR EXERCÍCIO CORPORAL

35-4 - NÃO CONSEGUE REPOUSAR EM NENHUM LUGAR DEVIDO À UMA ANSIEDADE NO CORAÇÃO

35-20 - JOGA UM BRAÇO E UMA PERNA

36-4 - FALTA DE IRRITABILIDADE DO CORPO

Incapacidade do corpo para responder a estímulos.

36-5 - OS MUSCULOS SE RECUSAM A FAZER O SEU TRABALHO QUANDO NÃO SÃO GOVERNADOS POR UMA FORTE ATENÇÃO E VONTADE

36-15 - DESESPERADO PARA FICAR BOM

40-2 - SUOR FRIO POR TODO O CORPO, COM UMA GOTA DE SUOR NA EXTREMIDADE DE CADA CABELO

40-21 - GRANDE DEPRESSÃO, TEM MEDO DA MORTE E SENTA DESANIMADO O DIA INTEIRO

40-22 - UMA EXPRESSÃO ESTÚPIDA, UM OLHAR ARREGALADO PARA O MÉDICO, LENTO NA COMPREENSÃO E NA RESPOSTA, TODAS AS PERCEPÇÕES DOS SENTIDOS EVOLUEM LENTAMENTE OU NÃO CHEGAM AO CONSCIENTE; NÃO EXPRESSA QUALQUER DESEJO; QUANDO É DEIXADO CAI EM SONOLENCIA"

Em linguagem repertorial está na rubrica "asking for nothing" (não exige, não pede nada)

41-3 - NENHUM SINAL DE QUEM TEM VISÃO OU AUDIÇÃO, NÃO ARTICULA QUALQUER SOM

44-6 - AGE ESPECIALMENTE SOBRE OS RINS E MEMBRANAS SEROSAS, FAZENDO DESAPARECER EDEMAS DO CÉREBRO, DO TORAX, DO PERITÔNIO E DO TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO

Sintoma encontrado em Apis e Bryonia.

46-2 - A PELE DESPELA, OS CABELOS E AS UNHAS CAEM

46-5 - ELEFANTÍASE

Em Recife existe o mais alto índice de filariose do Brasil, há uma faixa de pessoas sensíveis, talvez apenas determinados tipos homeopáticos sejam susceptíveis a elefantíase.

46-10 - INSATISFEITO QUANDO É PERTURBADO

GALLAVARDIN - HUMOR TRISTE, PENSA DO SEU ESTADO PRESENTE

KENT - HÁ MAIS UM ESTADO DE ESTUPEFAÇÃO, DE NÃO FAZER NADA E NÃO DIZER NADA

Não fala, nem sequer exige.

KENT - QUANDO QUESTIONADO O PACIENTE HELLEBORUS NÃO É CAPAZ DE DIZER O QUE HÁ NA SUA MENTE. QUANDO ACORDADO FALA DE ESPÍRITOS, OU DIZ QUE VÊ DIABOS COM CHIFRES E RABO, IMAGINA QUE ESTÁ FAZENDO ALGO ERRADO, COMETENDO UM PECADO IMPERDOÁVEL

Agregar Hell. Em "Ilusão - pecou, que - imperdoável, que cometeu um pecado"

KENT - MOVIMENTOS QUE PARECEM NÃO TER NADA A VER COM A SUA VONTADE. ELE SIMPLESMENTE FAZ MOVIMENTOS COMO ALGUÉM QUE ESTÁ SE MOVENDO NUM ESTADO DE AUSÊNCIA

 

H I S T Ó R I A C L Í N I C A

36 ANOS, SEXO FEMININO:

Este relato começou pela acompanhante, porque a paciente tinha muita dificuldade para falar.

Notamos que ela está adoecendo quando diminui muito sua conversa, vai ficando parada, com os olhos arregalados e demora para responder as perguntas (Até hoje quase todos os meus pacientes Hell estavam nesse polo, demoravam muito a responder as perguntas, até mais de um minuto para responder, e mesmo quando começavam já paravam na primeira ou na segunda palavra, mesmo estando no polo positivo chama nossa atenção a lentidão do raciocínio e das ações.) ou não responde, começa a dizer que o mundo está esquisito. Não dorme, não come, muitas vezes é necessário colocar a comida em sua boca, mesmo assim ela demora para comer. Cada dia fica mais parada, quase uma estátua, às vezes fica muito tempo de pé, não quer nada, nem passear ou sair para lugar algum. Ela não saía de perto de mim, para onde eu ia ela ia atrás. A gente cansa de dizer coisas positivas e ela nem se toca. Às vezes seu aspecto melhora à tarde, e até conversa algumas coisas, apesar de dizer que ainda estava esquisita. Na manhã seguinte voltava a ficar vagarosa.. Tínhamos que mandar ela lavar o rosto, escovar os dentes, não sabia decidir nada (é como se o intelecto não estivesse funcionando ).

Uma coisa diferente que achamos nela é a atenção que tem por tudo, ela percebe tudo, até os mínimos detalhes das coisas. O que os outros não notam ela nota. Se alguém chega com um chaveiro com muitas chaves e depois volta com menos ela pergunta: cadê as outras ?. Se alguém passa com um papel na mão ela pergunta - Para quem é aquele bilhete ? - Parece que a sua mente fica trabalhando além do normal, mas só pensa no que não presta, acha que tudo está difícil, que os problemas não têm solução e cria dificuldades para qualquer assunto que escuta, até piadas e brincadeiras leva a sério. Conhece todas as pessoas, mas tem muita dificuldade para conversar e muitas vezes nem cumprimenta. Para sair para a rua temos que pegar na sua mão e quase arrasta-la. Qualquer pessoa que chegava ou saía de casa ela se preocupava pensando que a pessoa fosse morrer. Às vezes chorava quando a pessoa saía. Quando melhorava um pouco procurava se arrumar e sair, começava a conversar e a contar como estava se sentindo com as coisas estranhas que pensava, aí ela sorria e falava das besteiras que se passavam na sua cabeça.

Depois de tomar Hell. de urgência.

Relato da paciente : Na infância e adolescência eu era muito fechada dentro de mim. Não me recordo de diálogo algum com meus pais. As coisas aconteciam e a gente não entendia o que se passava. Eu tinha receio do meu pai, lembro-me de quando ele brigava com minha mãe. Um dia meu pai foi preso em casa e levado pelos policiais. A primeira pessoa que vi morta foi o meu pai. A gente parecia não entender direito o que acontecia. Um dia minha mãe pôs fogo na leira na roça e o fogo parecia queimar-me. Era uma grande solidão. Apanhávamos muito. Lembro-me de uma vez em que fiquei muito triste e desejei a morte. Eu tinha medo das pessoas que não conhecia, quase não falava com elas. Arma de fogo também me apavorava. Meu carinho para com as pessoas é bloqueado (Aversão aos membros da família, indiferente a membros da família), meus amores também. Bate-me uma insegurança, é um sentimento de culpa e isto gera uma fraqueza em relação aos outros. Minha mãe fala que eu ajo devagar desde criança. Sempre falei pouco com os familiares também. O trabalho foi exigindo e eu passei a ter mais contato com as pessoas, na comunidade escolar, na organização de festas escolares. Passei a falar mais, a questionar, a exigir. Em l985 sofremos arbitrariamente imposições políticas no colégio, protestamos e mostramos nosso ponto de vista, isto me trouxe insônia e não me alimentava. Tinha pavor de tudo, parecia ao contrário, tinha medo dos militares, dos policiais que invadiram o colégio, me faziam lembrar os policiais que prenderam o meu pai na minha infância. Foram vários dias vegetados. Eu não tinha vontade de fazer nada, chorava muito e tinha vontade de desaparecer, de morrer (Sisifu se nega a morrer, a perder o contato com o mundo dos vivos). No segundo semestre de l986 tive recaída, em 87 comecei a trabalhar, mas com um pouco de insegurança. Trabalhei muito no último semestre com bordados à mão (Bordado é uma cosia um tanto instintiva. No Repertório está, "Desajeitado (aqwkward), deixa cair as coisas por distração". É um automatismo instintivo, vegetativo, no outro polo pode ser muito esperto. Tenho uma criança Hell sobre a qual a mãe disse: Meu filho era muito esperto até os 8 anos, quando começou essa doença. Distrofia muscular progressiva. Ele não consegue segurar mais as coisas, o queixo caído está lá em baixo, deixa cair tudo com facilidade, muita dificuldade para andar. Essa criança só tomou uma dose de Helleborus e soltou a língua, parou de babar, a mãe me telefonou que ele está melhorando, já anda e faz muitas coisas que antes não fazia). Inscrevi-me no Vestibular de História e fui aprovada (adoeceu logo depois). Em janeiro de 88 durante um congresso comecei a ter um embaraço mental. Parece que tudo está errado e que vou acabar. Quando começo a melhorar choro muito e vem aquela vontade de desaparecer (novamente perder o contato com o mundo). Quando estou assim não converso e nem argumento nada (não pede/exige nada), não gosto de telefone, não saio para lugar algum. Imagino encontrar alguém que me entenda, que me queira bem e viver uma vida feliz em todos os aspectos, superando as dificuldades. Gosto das pessoas que fazem o bem e que lutam para fazer um mundo melhor, mais humano. Gosto da natureza e dos animais. Sempre fico irritada por ocasião das regras.

Na Infância brincava com bonecas de espiga de milho, com bolas, subia em árvores. Gosto de animais, gato e cachorro.

Após uma decepção sinto uma grande solidão (Transtorno por decepção amorosa) mas não gosto de ficar no meio de muita gente. Engulo quando sou contrariada, não estou nem ai , outras vezes fico nervosa, triste. O que estava acontecendo com a diretora da escola era uma grande injustiça, fiquei abalada, nervosa, não comia direito, parecia que tudo estava errado. Não conversava nem com o médico, às vezes respondia só sim ou não, parecia que tudo ia acabar. Sinto-me alegre quando sinto que já posso conversar com as pessoas. Fico impaciente com as pessoas no pre-menstrual. Na adolescência me lembro de uma vez quando voltava de uma festa e comecei a chorar. Minha mãe me perguntou: O que houve? Eu não tinha uma resposta, sentia um descontentamento geral. Aquele descontentamento me acompanhava por toda parte, eu sentia que faltava alguma coisa para mim, eu precisava encontrar o prazer de viver, de sentir as coisas (Guardem essa idéia. A capacidade de sentir está muito bloqueada em Helleborus. Para sentir você precisa ter contato, perceber. Todos os cinco sentidos estão bloqueados em Hell. Nisto se pode confundir com Cicuta. Cicuta direciona os olhos para um ponto e Hel.l não direciona para ponto algum, apaga tudo). Sempre pedi forças a Deus, sempre rezei, aos poucos comecei a sentir mais as coisas, as pessoas e o namorado, a sentir a mim mesmo. Tremia muito sempre que falava em público. Hoje, quando me emociono sinto uma sensação de fraqueza geral. Sinto uma lentidão nas decisões, estou esquecida.

LUGAR IDEAL

Um lugar de sossego, sem preocupação, onde a gente pudesse se sentir bem com a natureza, com mata, coqueiros, água, à beira mar.

COMO IRIA SE SENTIR? - Melhor comigo e com aquilo que estivesse ao meu alcance (no outro polo não tem contato com o meio)

FUNÇÃO: descansar, buscar um pouco de paz.

SAÍDA : me faltaria um lugar para ficar, alguma coisa importante por parte da natureza..

CULPA: Maltratar as plantas, sujar esse lugar, prejudica-lo .

PERDA: Ele perde e pode contribuir para que os outros percam, porque aquele lugar pode se ressentir (Hell. pode se tornar absolutamente insensível, sem os 5 sentidos, ficar vegetando. Aqui é o lugar que tem vida, onde as coisas também sentem)

JUSTIFICATIVA: Falta de compreensão para com as coisas da natureza que não agridem (Eu diria que Helleborus num polo não sente, no outro polo sente demais)

Hell 200 c

RETORNO

Me senti melhor, estou muito sensível à dor, e me emocionando muito, principalmente quando falo com as pessoas sobre a crise de confusão mental que tive. Tinha pavor das pessoas, não queria conversar, argumentar de jeito nenhum. Parecia um sonho, que tudo era mentira, que eu não tinha feito a matrícula quando passei no Vestibular. Aconteceu um fato que não percebi durante a crise, tinha aversão a que me falassem de qualquer coisa boa, tinha uma reação contrária se me bajulassem (Consolo - agr.). Eu não agüentava, me encolhia igual uma lesma no caramujo, era terrível para mim. Sinto vontade de morar só porque a gente satura (satura é o mesmo que virar rotina) . Isto acontece em momentos de ansiedade, de revolta, quando quero mais sossego, mais individualidade.

Depois de 4 anos telefonei para ela e ela me disse: nunca mais tive aquelas crises, apenas gripes leves de vez em quando.

 

M I T O DE SISIFU

Outro colega já escolheu Sísifu como o mito de Stannum, mas me parece muito apropriado para Helleborus. Não conheço Hell. muito bem no outro polo com sua esperteza tal como aparece no mito.

Sísifu, o mais astucioso de todos os mortais (para ser o mais astucioso deveria ter todos os sentidos funcionando muito bem) conseguiu por duas vezes se livrar da morte. Foi o fundador de Corinto. Certa vez em que Autólico lhe roubou os rebanhos, Sísifu foi procurá-lo e conseguiu seguir o rastro dos animais, porque havia gravado o seu nome no casco de cada um dele. (A mulher do caso clínico também mostrava esperteza, quando olhava para o chaveiro e perguntava: cadê as outras chaves?). Sísifu chegou à região onde Autólico havia escondido seu rebanho, na véspera do casamento de Anticléia, filha de Autólico, que se unira a Laerte. Durante a noite Sísifu se introduziu no quarto da noiva, que concebeu dele um filho.(Veja como ele foi astucioso, penetrou sorrateiramente no quarto da noiva.). Daquele encontro nasceu Ulisses, um dos personagens mais interessantes da Mitologia. Quando Zeus raptou Hegina, filha do rio Esopo, visto por Sísifu, este guardou o segredo do acontecimento, até que chegasse uma ocasião para usufruir algum proveito dele. (Tenho um paciente, criança, que respondeu com Hell., que viu quando um ladrão entrou em sua casa, roubou as coisas e a mãe não conseguiu até hoje convencê-lo a contar quem foi o ladrão. Sabe-se que é uma pessoa da redondeza, bem conhecida. Quando a mãe insiste para que ele fale quem é o ladrão ele faz uma cara feia e começa a chorar. Ele está guardando este segredo).. Sísifu esperou que o Rio Esopo passasse por suas terras a procura da filha e exigiu (Vejam o outro polo, no Repertório está em "Não pede/ exige nada", agora ele está exigindo alguma coisa) que Esopo fizesse jorrar uma fonte de água cristalina na cidadela do reino, em troca contar-lhe-ia quem haveria raptado sua filha.

O senhor do Olimpo, irritado com a delação de Sísifu chamou Tânatus, a morte, e a ordenou que arrebatasse o rei de Corinto para os infernos. Tânatus, figura sinistra, envolta em vestes negras, habitante do Hades, irmã do sono, chegou nas terras de Sísifu com o seu punhal entre as dobras do seu manto. Com muita manha e muita arte Sísifu enganou a morte, percebeu que ela vinha leva-lo e submeteu-a, aprisionou-a num calabouço e por longo tempo ninguém mais morria no mundo. Hades, deus dos mortos, recorreu a seu irmão Zeus, que forçou Sísifu a libertar o seu terrível cativo, e a primeira vítima da morte haveria de ser o delator de Zeus. Sísifu preparou-se para seguir Tânatus aos infernos. Antes, porém, fez um pedido para sua esposa, que não o enterrasse. Mesmo sem entender as razões do marido a mulher obedeceu. Sísifu chegando aos infernos despojado de seu revestimento habitual, pergunta-lhe Hades, onde está o seu corpo? Sísifu culpou a esposa e convenceu Hades que precisava voltar à superfície da terra para castigá-la por tamanha negligência. Tanto lamentou, tanto pediu que Hades compadeceu-se dele e permitiu que voltasse ao mundo dos vivos apenas por algum tempo. Mal deixou o reino de Hades, o esperto Sisifu tomou outro rumo com a firme decisão de nunca mais rever a sombra dos infernos. No entanto, um dia, passado muitos anos, faltaram-lhe as forças para continuar vivendo, estava por demais envelhecido e já não tinha energia para ludibriar a morte, assim foi novamente arrastado para os subterrâneos do mundo (Na história da nossa paciente foi dito que para levá-la para a rua tinha que ser quase arrastada).

Hades, que jamais se esquecera da fuga de Sísifu, ao recebê-lo pela segunda vez, acercou-se de todas as precauções para manter-lhe no seu domínio. Impôs-lhe uma tarefa, que não lhe permitia um só minuto de descanso, afastando-lhe de qualquer possibilidade de evasão. Sísifu rolava montanha acima uma enorme pedra que sempre escapava de suas mãos ao chegar perto do cume. O condenado que ousara enganar a morte descia correndo pela encosta para retomá-la e recomeçar sua tarefa sem fim e sem objetivo. (É exatamente o que acontece com Helleborus, está fazendo alguma coisa, uma renda, por exemplo, e aquilo lhe cai das mãos. Stan.n também persevera fazendo tarefas inúteis. O castigo imposto a Sísifu é uma coisa sem fim, um automatismo, do qual está cheio o medicamento. É como se só funcionasse seu sistema nervoso autônomo)


COMENTÁRIO DO DR. JOSÉ LAÉRCIO DO EGITO quando esta aula foi dada em Recife em 1992: " Não contesto o valor da MITOLOGIA para caracterizar diferentes tipos constitucionais, porque, tal como nas novelas de TV são retratados personagens bem típicos e característicos do dia a dia. Os deuses são representações bem caracterizadas da natureza humana, com detalhes. Vejam que na Grécia o Panteon era constituído por deuses excessivamente humanos, cheios de vícios e paixões, mazelas, como os mortais comuns, por isto retratam tipos de personalidade. De divindade me parece que eles só tinham um poder maior para executar as coisas que pretendiam.
 

Como a Homeopatia constitucional procura identificar o retrato falado das diferentes pessoas, nada mais lógico que encontrarmos tipos básicos de pessoas retratadas nas figuras mitológicas. Assim, identificando-se aqueles tipos de deuses associando-os às características individuais humanas é óbvio que se possa facilmente chegar aos medicamentos correspondentes.

 

Abaixo • Homeopatia • Acima • Proxima

vet_e_cao_3.gif (3083 bytes)

construída e administrada por Maria Thereza Cera Galvão do Amaral
Criada em 1999. Revisado: dezembro, 2017.

Licença Creative Commons
Portal de Homeopatia de maria thereza do amaral está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença
em http://www.mthamaral.com.br.