• Homeopatia • Acima • Pesquisa em Homeopatia • Veterinários • Sonhos • Eventos gerais • Contatos e informações • 

Portal de Homeopatia

 

 

A lógica da repertorização
Aldo Farias Dias

 

III Encontro Paranaense da Ilha do Mel   (fevereiro de 1999)

    Não vamos tratar da história dos repertórios, do plano de construção, dos princípios de generalização e graduação, dos diferentes repertórios, suas funções, erros e omissões.

    Vamos tratar da lógica da repertorização, das técnicas de montar quadros repertoriais que sugiram de forma mais eficaz os medicamentos a serem considerados para o caso atual.

    Temos que encontrar o que procuramos, mas antes é preciso saber o que procurar. Isto nos coloca na arte da toma do caso.

    As diferentes maneiras de investigar a história clínica homeopática refletem a orientação doutrinária do homeopata, sua concepção da enfermidade aguda e crônica, seu ideal de cura. E claro, vai refletir na lógica de suas repertorizações.

 

  • O primeiro nível de cura implica na cura dos sintomas individualmente e na cura da entidade clínica como um todo. Cura clínica.
     
  • O segundo nível de cura implica na cura da predisposição ao adoecer. Cura miasmática.
     
  • O terceiro nível de cura implica na cura da pessoa, promovendo o pleno desenvolvimento de suas potencialidades existenciais. Cura pessoal ou existencial.

 

    A grande maioria dos exemplos publicados de curas homeopáticas referem-se a curas clínicas de estados agudos ou de estados crônicos numa perspectiva transversal e não longitudinal, como por exemplo, o Testemunho da clínica de Nash.

  1. Para obter o primeiro nível de cura a lógica da repertorização consiste em determinar os sintomas característicos do quadro atual e as características individuais.
     
  2. Para obter o segundo nível de cura a lógica da repertorização consiste em determinar os sintomas expressivos da atividade miasmática e selecionar os medicamentos de acordo com sua classificação miasmática, podendo mesmo desconsiderar os sintomas atuais da expressão da entidade clínica.
     
  3. Para obter o terceiro nível de cura a lógica da repertorização consiste em determinar os sintomas, geralmente mentais, que expressam uma peculiar maneira de sofrer e reagir ao sofrimento. Os medicamentos são selecionados a partir de uma meta-compreensão da matéria médica e do repertório. A confirmação deste ideal de cura exige uma observação ao longo de toda uma vida, pois implica numa transformação existencial que conduz o homem para a realização de suas potencialidades existenciais e o cumprimento dos altos fins da existência. §9 do Organon.

    A toma do caso deve ser fidedigna, completa e incluir os aspectos atuais e da história biopatográfica. A análise do caso deve abranger o nível dos sintomas, da atividade miasmática e da compreensão do ser que sofre. Só então podemos estabelecer uma estratégia para a seleção do medicamento que pode incluir ou não as técnicas de repertorização.

 

Estratégias de montagem dos quadros repertoriais:

  1. Método pré-repertorial: procurava-se na Matéria Médica Pura os medicamentos que apresentavam cada sintoma, tentando diferenciar suas características e selecionava-se o que cobria a maioria dos sintomas do caso, especialmente os mais característicos e que correspondia à disposição mental do paciente. Hahnemann.
     
  2. Síndrome Mínima de Valor Máximo: método que permite maior grau de individualização. Há que definir os critérios da formação da SMVM. Inclui o método artístico. Kent.
     
  3. Keynotes: método que considera apenas os sintomas característicos no sentido de raro, estranho ou peculiar, isto é, não no sentido que Hering dá ao característico. As rubricas keynotes são específicas, mas geralmente incompletas.
     
  4. Combinação das partes dos sintomas. Boenninghausen.: método que combina as partes dos sintomas, isto é, o fenômeno mental, sensorial, funcional ou lesional, a localização geral, lado ou partes do corpo, as modalidades e os concomitantes.
     
  5. Temática: método que implica numa valorização de temas identificados no paciente e nos medicamentos. Implica numa meta-compreensão das patogenesias. Elizalde, Whitmont, Shankaran, Scholten etc.
     
  6. Combinação de sintomas de 2 elementos distintos: método que permite a prescrição de elementos combinados como calc-sil., calc-ph., kali-m., kali-p etc. Group analysis. Scholten.
     
  7. Totalidade dos sintomas: é o método menos individualizante. Método mecânico Kent.

Representações Características da Totalidade

Denominamos Representações Características da Totalidade, em substituição à SMVM, o conjunto de sintomas/rubricas que permitem selecionar o medicamento com mais segurança. Estabelecemos os seguintes critérios para a montagem de uma RCT eficaz:
 

  • a totalidade dos sintomas está constituída pelos seguintes elementos adaptado de Boenninghausen:
    1. Sintomas mentais: imaginário, afetividade, caráter, intelecto, conduta, modalidades, concomitantes.
    2. Sensações, disfunções e lesões.
    3. Localização geral, lados ou partes do corpo.
    4. Concomitantes.
    5. Causalidades.
    6. Modalidades.
    7. Horário.
       
  • uma RCT deve ter abrangência e proporcionalidade.: abrangência significa que deve conter, pelo menos, 5 representações distintas dos 7 aspectos da totalidade e proporcionalidade significa que deve haver um equilíbrio no número de representações de cada aspecto da totalidade.
     
  • a valorização do resultado da repertorização vai levar em conta o grau dos medicamentos em cada rubrica e sua diferenciação na pesquisa direta nas Matérias Médicas Puras e Clínicas.
     
  • a graduação dos medicamentos nas rubricas indica frequência de resultados e não intensidade do sintoma. Um pontuação maior sugere uma maior probalidade de resultado e uma pontuação menor o contrário mas aponta para uma maior individualidade suscetibilidade se o resultado ocorrer.

Caso de Hahnemann

Schubertin, lavadeira, 50anos de idade. 1/9/1815

  1. Em qualquer movimento bewegung, especialmente em cada passo auftreten, e pior ao dar um passo em falso Fehltritte, ela apresenta uma pontada sticht na boca do estômago Herzgrube, que surge, cada vez do lado esquerdo.
  2. Ao deitar-se Im liegen sente-se completamente bem, então não apresenta dor alguma, nem no lado ou no estômago.
  3. Ela não consegue dormir após 3h da manhã.
  4. A comida lhe apetece schmecken , mas quando come um bocado sente-se mal brecherlich.
  5. Água acumula-se em sua boca e escorre para fora como azia Wuermerbeseigen.
  6. Ela tem frequentemente eructações vazias auftstoesst leer após cada refeição.
  7. Seu temperamento é passional heftigem, disposição colérica Zorn Gemuethe. Quando a dor é severa cobre-se de transpiração. A menstruação era normal até 14 dias atrás.

Obs. Como exercício destaque os elementos dos sintomas.

Lógica de Hahnemann

Em 1815 só existiam o índex de sintomas dos 27 medicamentos do Fragmenta de viribus...1805 , um esboço do Symptomdictionaries manuscrito em latim 1817 , o primeiro volume da primeira edição da Materia Medica Pura 1811, os outros volumes foram publicados em 1816, 1817, 1818, 1819 e 1821. Hahnemann descreve seu raciocínio clínico, nesta época, no preâmbulo da Materia Medica Pura:

  • Agora, com relação ao sintoma 1, Belladona, China e Rhus tox causam pontadas na boca do estômago, mas nenhum deles somente em movimento, como é aqui o caso. Pulsatila (veja sintoma 387) certamente causa tais dores na boca do estômago ao dar um passo em falso, mas somente como uma rara ação alternante, e não tem os mesmos desarranjos digestivos com ocorre nos sintomas 4,5,6. Bryonia sozinha tem dentre suas ações alternantes principais, como toda a lista de seus sintomas demonstra, dores ao movimento e especialmente dores em pontadas, como também pontadas através do esterno ao levantar o braço 448 e ao dar um passo em falso isto ocasiona pontadas em outras partes 520, 600 ...
  • O sintoma negativo 2 corresponde essencialmente a Bryonia 638 ....
  • O sintoma 3 é encontrado em muitos medicamentos, e também em Bryonia 694
  • O sintoma 4 é encontrado em muitos medicamentos Ign, Nux-v, Merc, Ferr, Bell, Puls, Canth mas nem tão constante e frequentemente, nem com anseio por comida, como em Bryonia 279.
  • O sintoma 5 é encontrado em muitos medicamentos como também em Bryonia 282 , contudo não produzem sintomas semelhantes aos restantes.
  • O sintoma 6 é encontrado em poucos medicamentos, e em nenhum tão constantemente, tão usualmente, e num grau tão grande como em Bryonia 253, 259 .
  • Para o sintoma 7 - um dos sintomas principais em doenças ver §213 é o estado de disposição e como Bryonia 772 causa causa este sintoma também num modo similar, este é o medicamento selecionado por todas estas razões.

Lógica de repertorização 1

  1. Dor_pontada_estômago_movimento agg. 5r
  2. Repouso am.
  3. Insônia_meia-noite_após 3h
  4. Comer_pequena quantidade agg.
  5. Eructações_azia.
  6. Eructações_vazias.
  7. Passional

Lógica da repertorização 2

  1. Local_estômago.
  2. Dor_pontada.
  3. Movimento agg. // Sacudidas_pisar forte agg. // Comer_após agg. ; Peq. Qtde agg. // Meia-noite_após_3h agg.
  4. Repouso am. // Deitar am.
  5. Transpiração por dores = Dores com transpiração concomitante.
  6. Passional

 

 

 

Homeopatia Pesquisa em Homeopatia Veterinários Sonhos Eventos gerais Contatos e informações

vet_e_cao_3.gif (3083 bytes)

construída e administrada por Maria Thereza Cera Galvão do Amaral
Criada em 1999. Revisado: novembro, 2014.

Licença Creative Commons
Portal de Homeopatia de maria thereza do amaral está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença
em http://www.mthamaral.com.br.