• Homeopatia • Acima • Pesquisa em Homeopatia • Veterinários • Sonhos • Eventos gerais • Contatos e informações • 

Portal de Homeopatia

 

• Abaixo • Homeopatia • Acima • Proxima •


 Experimentação no homem são

 

    Foi o modo achado por Hahnemann de conhecer a verdadeira ação de uma droga sobre o ser humano.
    Se fosse experimentada em doentes, não se saberia se os sintomas coletados pertenceriam à doença, ao doente,ou à substância. E se não fosse experimentada, não haveria como saber como seria a ação destas substâncias no ser humano, seriam só conjecturas a respeito. 

    Hahnemann começou experimentando em si mesmo:

  • - Primeiro experimentou a quinquina (China officinalis) e verificou que causava nele uma série de sintomas “semelhantes” àqueles da febre intermitente. E que esta substância curava casos desta febre.
  • - Experimentou o enxofre (sulphur) e verificou que produzia uma erupção cutânea “semelhante” àquela que era capaz de curar.

    E seguiu fazendo mais experimentações e descobrindo mais medicamentos.
    Grande parte das descobertas das virtudes terapêuticas das drogas foi por acaso ou por acidente (tentativas de suicídio, intoxicações acidentais, profissionais por chumbo, etc).
Porém foi necessário ser criado um método para experimentação, sendo usada toda experiência de Hahnemann por anos, experimentando nele mesmo e nos a sua volta os medicamentos, para se padronizar a experimentação e para poder usar seus resultados de uma maneira prática e  confiável.
Em 1796, Hahnemann, em um artigo, propõe o seguinte método :

I) - Escolha do indivíduo experimentado :

  • - médico, boa saúde, sem preconceito.
    Médico porque ele expressaria melhor o que iria sentir, visto que o médico tinha conhecimento, maior do que a média das pessoas sobre anatomia, fisiologia, patologia;
  • - Ambos os sexos
  • - abranger todos seres humanos
  • - Todas constituições
  • - O indivíduo não deveria ser pago
    ( para não se sentir na obrigação de sentir alguma coisa, só relatar o que realmente sentiu)

II) - Substância a ser experimentada:

  • - deveria ser pura
  • - deveria ser bem conhecida, dentro dos limites da época.
  • - deveria ser usada isoladamente, sem misturas.

III) - Regime de vida do indivíduo:

  • - deveria ser moderado
  • - sem mudanças bruscas, manter mais ou menos o mesmo ritmo de vida
  • - evitar trabalho fatigante do corpo e do espírito, orgias e paixões desenfreadas.
    ( este tipo de alteração poderia modificar a experimentação e consequentemente os resultados; então, se fosse possível, manter uma relativa estabilidade).

IV) - Doses das substâncias a serem experimentadas:

  • - a dose que se costumava prescrever em receitas.
  • - se a substância for desconhecida, deve-se experimentar desde as doses infinitesimais até eventualmente a dose ponderal, se essa substância não for um veneno conhecido.
  • - moderada, variável, de acordo com a substância.

V) - Descrição dos sintomas :

( o ser humano é o único que tem a faculdade de pensar, a faculdade de adquirir conhecimento através do raciocínio, do pensamento; é o único que consegue definir sintomas psíquicos e sensações subjetivas.)

bullet- psíquicos
bullet- sensações subjetivas
bullet- minúcias ( modalidades, horário, duração, agravação, posição, etc.)

    A maior parte das experimentações foram feitas à época de Hahnemann e de seus discípulos, depois a maioria dos acréscimos nas matérias médicas foram feitas por experiências clínicas. Na retomada do entendimento do que realmente era a Homeopatia hahnemanniana que ocorre de uns anos para cá, mais experimentações voltaram a ser feitas, organizadas por médicos, e ocorrem sugestões de padronizações. Em revistas de Homeopatia são publicadas, realmente não com frequencia, pois são procedimentos trabalhosos, os resultados dessas experimentações mais atuais.

 

Abaixo Proxima

vet_e_cao_3.gif (3083 bytes)

construída e administrada por Maria Thereza Cera Galvão do Amaral
Criada em 1999. Revisado: novembro, 2014.

Licença Creative Commons
Portal de Homeopatia de maria thereza do amaral está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença
em http://www.mthamaral.com.br.