• Homeopatia • Acima • Pesquisa em Homeopatia • Veterinários • Sonhos • Eventos gerais • Contatos e informações • 

Portal de Homeopatia

 

• Abaixo • Homeopatia • Acima • Proxima •

Google

 

Web

www.homeopatiaveterinaria.com.br

Glossário de Homeopatia
(e termos correlatos)

 

[vejam também outras páginas abordando o que é Homeopatia e com alguns conceitos em Homeopatia.]

 

 

AGRAVAÇÃO - (ver variantes reativas)

 

ANTI PSÓRICOS, medicamentos - lista de medicamentos que para Hahnemann curava a psora,  "causa de todos os males crônicos de origem não venérea". Eram medicamentos que tinham entre seus sintomas os da psora definida por Hahnemann.

 

ANTROPOSOFIA - a Antroposofia inclui a Medicina Antroposófica mas não é só ela. Inclui educação, pedagogia social, agricultura, arquitetura, terapias, filosofia, etc, inpirados nos escritos e estudos do Dr. Rudolf Steiner, médico alemão.

Seu método de preparação de medicamentos começou semelhante aos dos medicamentos homeopáticos, mas já não o é mais, é mais complexo e envolve mais etapas e manipulações de seus componentes. Não é Homeopatia.

(Ver  Weleda

 

 

APSÓRICOS, medicamentos - medicamentos que para Hahnemann não curavam as doenças crônicas causadas pelos miasmas psora, sífilis e sicose.

Classe geral de medicamentos homeopáticos para Hahanemann.1

 

AROMATERAPIA - diferentemente do que o nome indica, é a ação de óleos essenciais tanto usados por olfação quanto pela absorção pela pele. Em alguns casos o primeiro será mais eficiente, em outros casos será o segundo. As vezes é usada como terapêutica única, mas geralmente é associada à outros terapêuticas, tais como fitoterapia. Não é Homeopatia.

(ver BySamia )

 

BIOPATOGRÁFICO, diagnóstico (história biopatográfica) - as doenças do indivíduo ao longo de sua vida, com repercussões em sua doença crônica.
E também seu primeiro adoecer (nunca mais foi o mesmo depois de ...)

 

BIOTERÁPICOS - produtos quimicamente não definidos (secreções, excreções patológicas ou não, certos produtos de origem microbiana e alérgenos) que servem de matéria prima para as preparações homeopáticas bioterápicas (Farmacopéia Francesa décima edição, 1985).

 

 

CURAS - níveis de.

a) curas de primeiro nível - implica na cura dos sintomas individualmente e na cura da entidade clínica como um todo. Cura clínica.

b) curas de segundo nível - implica na cura da predisposição a adoecer. Cura miasmática.

c) curas de terceiro nível - implica na cura das pessoas, promovendo o pleno desenvolvimento de suas potencialidades existenciais. Cura pessoal ou existencial.

( fonte : Dr. Aldo Farias Dias - mensagem de INTERNET - A lógica da repertorização.)

 

DIÁTESE - maneira do organismo responder a uma mudança do meio ambiente. (Dr. Diniz da Gama).

Condição permanente (hereditária ou adquirida) do corpo,  que se torna suscetível a certas doenças ou afecções em especial.1 

 

DINAMIZAÇÃO - preparação de uma droga pelo procedimento de diluição + sucussão (no caso de substâncias solúveis) ou diluição + trituração (no caso de substâncias insolúveis).

O termo vem do grego "dynamis" (potência, força) e qualificam substâncias que adquiriram "força" medicamentosa.
A quantidade de vezes que o medicamento foi dinamizado designa-se POTENCIA.

 

DOENÇA - Qualquer alteração da Força Vital (Dr. Diniz da Gama).
O que antecedeu a MOLÉSTIA, alteração da força vital. Vem em primeiro lugar (definição segundo Hahnemann, pela visão do Dr. Galvão)

 

 

DOSE - quantidade de medicamento ingerida de cada vez. Pode ser única ou repetida.

 

ENERGIA VITAL - para Hahnemann seria uma mistura de "maestro" e "piloto automatico" de nosso corpo.
Tanto seria o responsável pelo harmonioso funcionamento de todas suas partes, possibilitando ele ser considerado um todo, como possibilitaria não termos que "pensar" para fazer acontecer todas funções, reaçoes, etc do nosso corpo para que ele possa funcionar, realizando as funções "automáticas e vitais" ditadas pelas partes do cérebro responsáveis por isso.

Sua natureza seria desconhecida (já existem diversas hipóteses em discussão), embora pelo tipo de ação realizada pelo medicamento homeopático seja impossível descartar sua existência.

 

ENFERMIDADE - Alterações funcionais do corpo. ( Dr. Diniz da Gama ).

Ela é igual a noxa mais suscetibilidade ( E = N + S )

Ver moléstia .

 

ESCALAS - indicam a razão da diluição empregada no preparo de medicamentos homeopáticos. As mais comuns são as Centesimal (utilizada por Hahnemann), e a decimal (preconizada por Hering).

forma de preparoexemplo de potencias
Centesimal Hahnemanniana - CH6 CH
Decimal - D8 DH
Fluxo Contínuo - FC1 MFC
Cinquenta Milasimal - LM9 LM
Korsakov - K200 K

                                              fonte : Manual do consumidor de Homeopatia - AFHERJ/ABFH

 

FITOTERAPIA - a fitoterapia é uma forma de tratamento terapêutico que usa medicamentos de origem vegetal, de comprovada atuação medicamentosa seja em forma de cápsulas, tinturas, chás, etc.
Essa sua comprovada atuação pode ser por uso tradicional ou em laboratórios e testes, mas é necessário que a planta correta seja utilizada.

Sua técnica de preparo é fundamentalmente extrativa.

Não é sinônimo de Homeopatia e não é Homeopatia.

A grande maioria das drogas sintéticas atuais se originaram de plantas medicinais, mas não tem a mesma ação, já que isolam determinados componentes das plantas e os sintetizam artificialmente ou os 'purificam' (usam a palavra "purificar" como sinônimo de isolar determinada substância, o que não é correto).

Deve-se sempre se ter em mente que a ação medicinal de uma planta se deve não só a soma de seus componentes mas também à interação entre eles.

(Ver aqui e ver Herbarium)

 

 

FLORAIS -  substâncias medicamentosas que extraem a força medicamentosa de flores, a partir de um método próprio criadas originalmente por Edward Bach (florais de Bach), um médico de formação homeopática.

Tem uma ação predominantemente mental e não é Homeopatia.

Atualmente há inúmeros grupamentos de florais, todos preparados com a técnica original, de diversas partes do mundo, inclusive brasileiros.

(ver os Florais de Saint Germain, os Florais Californianos e os Florais de Joel Aleixo)

 

IATROQUÍMICA - corrente da medicina que prescrevia o uso de remédios de origem química e originalmente pretendia explicar todos os fenômenos do cosmo valendo-se da analogia com os processos químicos. 3  ( pág. 44)

 

IATROMECÂNICA -corrente da medicina que originalmente pretendia explicar todos os fenômenos do cosmo (e do corpo humano) valendo-se da analogia com a mecânica do século XVIII - XIX.

 

 

IDIOSSINCRASIA -  [ do grego idios, pessoal, privado + sunkrasis,   temperamento] - Casos envolvendo um indivíduo com peculiaridades fisiológicas ou de temperamento; indivíduos que tem uma reação mórbida incomum a substâncias particulares. (§ 117) .1   

Um tipo especial de suscetibilidade.

 

ISOPATIA - [do grego isos , igual  + pathos , sofrimento ] - Um método de tratamento da doença usando o produtor ou um produto da doença preparados como medicamentos homeopáticos.
Não usa os sintomas de experimentação ( se a substancia for experimentada) ou não usa substâncias em que foi feita experimentação.
E não leva em conta a individualização do paciente, só o que está causando sua doença .
Ver MEDICAMENTO ISOPÁTICO.

Tanto a Isopatia quanto a Isoterapia não agem no mesmo nível dos medicamentos homeopáticos, por não usarem o princípio da semelhança e sim da analogia 2 .

 

ISOTERAPIA OU TAUTOTERAPIA -  tratamento pelo mesmo, independentemente da natureza orgânica ou não da substância empregada, desde que vinculada como causa.

Não necessáriamente é feita com medicamentos homeopáticos.

Emprego de produtos não patológicos de qualquer origem. 2

 

MEDICAMENTO DINAMIZADO - aquele que é produzido segundo uma farmacotécnica dinamizadora ( centesimal hahnemanniana, decimal, korsacof, fluxo contínuo, cinquenta milesimal), seja ele usado em um indivíduo ou não.
E seja ele usado em uma terapia homeopática ou não.

O mesmo que sistema dinamizado.

 

MEDICAMENTO HOMEOPÁTICO - é aquele medicamento ( dinamizado ou não) utilizado no indivíduo segundo dois princípios da Doutrina Homeopática : Similitude e  Experimentação no homem são. Ou seja, é o usado no curso de uma intervenção homeopática (consulta ou experimentação).
Medicamentos não experimentados, para ser coerente com a definição e com os princípios que ela encerra, seriam medicamentos em "stand by", a espera de comprovação.
Ou talvez a espera da criação de um outro tipo de experimentação.

 

 

MEDICAMENTO ISOPÁTICO - elaborado com o produto patológico do próprio organismo, e sua preparação é feita de acordo com a Farmacopéia Homeopática.

 

MEDICAMENTO ISOTERÁPICO - é aquele preparado de acordo com a Farmacopéia Homeopática mas usado segundo uma similitude etiológica, do que está causando a doença.

 

 

MODALIZAR-  É, num sintoma, avaliar condições de melhoria, piora, horários em que ocorrem, a influência das posições do corpo, os fatores meteriológicos, as modalidades pelas comidas, pelas menstruações (cios ?), pelo sono, por fatores psíquicos e as modalidades por caracteres próprios ou intrínsecos dos sintomas (dor- transpiração- secreções- etc).
De que "modos" o sintoma varia.

 

MOLÉSTIA - Complexo de alterações mentais, funcionais e morfológicas, de caráter evolutivo, que se estabelece no organismo submetido a fatores frente aos quais ele responde.

É quando a força vital alterada causa uma reação no corpo modificando-o (alteração orgânica-funcional). (Definição Hahnemanniana pelo Dr. Galvão).

 

MATÉRIA MÉDICA - Conjunto de sintomas e sinais relatados pelos experimentadores durante a experimentação, em sua própria linguagem = matéria médica pura:
Ex. "Matéria Médica Pura" - Samuel Hahanemann
Cyclopedia of Drug Pathogenesy - Hughes
Hahnemann Provings - Stephenson

estes mais sintomas colhidos em doentes, além dos sãos = matéria médica semipura:
Ex: Doenças Crônicas - Samuel Hahnemann
Boeninghausen's Charac. and Repertory - Boger
Manual de Matéria Médica - Jahr
The Encyclopedy of Materia Medica - T. F. Allen
The Guinding Symptons of our Materia Medica - C. Hering
Psichisme et Homeopatie, Pathogenesies des substances medicamentoses - Gallavardin
Homeopathic Drugs Pictures - Margareth Tyler

esta mais os sintomas colhidos na prática clínica do profissional = matérias médicas clínicas:
Matéria Médica Homeopática - C. Dunham
Indicações Características em Terapêutica Homeopática - Nash
Dictionary of Materia Medica - Clarke
Lectures on Homeophatic Materia Medica
- J. T. Kent
Tratado de Matéria Médica - Vijinosky
Matéria Médica Homeopática - Lathoud

matérias médicas interpretativas:
Le Typologie - Les temperaments, prototypes et metatypes- Vannier
Psique e Substância - Whitmont
Matéria Médica Comparada - E. Candegabe

Teses de estudiosos sobre o assunto
e as onde o efeito fisiológico das substâncias é dado, seriam mais sobre os efeitos de intoxicação pelas substâncias estudadas = matérias médicas explicativas:

Homeopathic Materia Medica - O. Lesser
Homeopathie et Phisiologie - Hodiamont
Physiological Materia Medica - W. Burt

 

NOSÓDIOS - ver Bioterápicos.

 

NOXA - fator necessário, mas não suficiente, para produzir uma enfermidade. Seria o fator desencadeante da enfermidade. Pode ser físico (queimadura, um atropelamento), emocional (uma decepção, uma bronca), químico ou biológico,  externo ou interno.

 

 

POLICRESTOS - medicamentos em que a maioria de seus sintomas correspondem em similitude aos sintomas das mais comuns doenças da humanidade, e portanto tem um uso homeopático frequente e eficaz. 
Provavelmente espécie-dependente.

 

POTÊNCIA - a) como quantidade de vezes que o medicamento foi dinamizado. É indicada por um número (número de vezes) e por uma letras - ou letras ( forma de preparo)

                       b) como capacidade medicamentosa, curativa, de um determinado medicamento frente a um determinado enfermo, não dependendo, portanto, de um número.
Por exemplo, uma dose de Arsenicum album C 1000 pode ser uma potência alta, média ou baixa, conforme o paciente Arsenicum a que se destina. Ou mesmo nula, se o paciente não apresentar similitude nenhuma com Arsenicum.

Uma chinelada para um ser humano adulto não é o mesmo que é para uma barata. Então não haveria como dizer, de uma maneira absoluta, se a potencia da chinelada é alta, média ou baixa, depende do que vai ser atingido. Pode inclusive ser nula se não atingir nada.

 

REPERTÓRIO - enquanto na matéria médica se tem os medicamentos seguidos pelo sintoma, aqui se tem o sintoma seguido pelo(s) medicamento(s).
Ele tem uma linguagem própria, atemporal, como Hahnemann queria que fossem a linguagem dos sintomas em Homeopatia.
Requer o entendimento da exata ou bem próxima significância do que aquele sintoma quer dizer.

 

SAÚDE - A HARMONIA do homem com a natureza, a HARMONIA entre os diversos componentes do organismo entre si e com o meio ambiente.

Equilíbrio é entropia zero, que é a morte .( Dr. J. C. F. Diniz da Gama ).

Aparentemente Hahnemann relacionava muito a saúde com música. Não teríamos que estar equilibrados, teríamos que estar harmônicos.

 

SIMILLIMUM - é o medicamento que cobre a sintomatologia da entidade clínica e da entidade individual nos seus mais amplos e completos aspectos, seja a longo ou curto prazo.
Seria o medicamento, dentre os medicamentos, que mais similitude teria com o ser tratado.

É o medicamento ideal, por excelência, quando possível de se obter e que deve ser buscado para se conseguir os melhores benefícios no tratamento e consequentemente, na vida do ser tratado.

 

SINTOMAS PSIQUIÁTRICOS - indicam lesão no cérebro. Devem ser diferenciados dos chamados 'sintomas mentais'.

 

SISTEMA DINAMIZADO - ver MEDICAMENTO DINAMIZADO.
 

SUCUSSÃO - ato de agitar violentamente uma solução. Está intimamente ligada ao processo das diluições  e pela transferência do poder farmacodinâmico ao solvente.

 

TINTURA-MÃE - São preparações básicas, resultantes de extração, por maceração ou percolação (operação de passar um líquido através de um meio para filtra-lo ou para extrair substâncias desse meio), de drogas animais ou vegetais, em diferentes graduações alcoólicas.

Hahnemann, em sua sexta edição do Organon, preconiza que todas as substâncias-origem dos medicamentos deveriam ser trituradas, mesmo as solúveis. Para ele, aumentaria o poder medicamentoso dos substâncias.

 

 

TRITURAÇÕES - forma de tornar solúveis as substâncias insolúveis, sendo feita geralmente até a 3CH. Nessas substâncias, a partir de 3 CH poderia ser pós, tabletes ou comprimidos; a partir de 4 CH , em gotas com álcool de baixa graduação; a partir de 5 CH em qualquer prescrição.

Hahnemann, em sua sexta edição do Organon, preconiza que todas as substâncias-origem dos medicamentos deveriam ser trituradas, mesmo as solúveis. Para ele, aumentaria o poder medicamentoso dos substâncias.

 

VARIANTES REATIVAS - Segundo o Dr. Renan Ruiz, médico , são reações que podem incluir sintomas exonerativos ( vômito, diarréia, sudorese );
episódios agudos ( episódios febris);
erupções de pele; retorno de sintomas antigos;
mas sempre concomitantes com a "sensação de bem estar geral", e sempre centrífugos (do centro para a periferia) e de ação hiperérgica, que ocorrem entre o 8° e 14 ° dia;e por volta do 100° dia em casos muito crônicos ou muito profundos.


1- Organon

2- Apostila de aula do dia 19 de abril de 2000, do Dr. Renan Ruiz, da Associação Paulista de Homeopatia,
         São Paulo, SP.

3- FERRAZ, Márcia H. M. O processo de transformação da teoria do flogístico no séculoXVIII. São Paulo, 1991. ( Dissertação de mestrado - História Social ), departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

 

• Abaixo • Homeopatia • Acima • Proxima •


vet_e_cao_3.gif (3083 bytes)

construída e administrada por Maria Thereza Cera Galvão do Amaral
Criada em 1999. Revisado: novembro, 2014.

Licença Creative Commons
Portal de Homeopatia de maria thereza do amaral está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença
em http://www.mthamaral.com.br.